Visitantes

O Poder da Concentração

A concentração é o alicerce, a base de todo o trabalho gnóstico. É uma faculdade que existe em estado latente em todo ser humano e pode ser desenvolvida. Consiste na capacidade de manter a atenção em um único tema (Lakshya) por tempo indeterminado. Todas as práticas gnósticas (Desdobramento Astral, Meditação, Magia Sexual, Morte do Ego) dependem da concentração para terem sucesso.

 

 

O ser humano desde quando nasce não é habituado a praticar a concentração, sendo, do contrário, acostumado à distração, ou atenção dividida em vários pensamentos/atividades diferentes. De maneira geral, atuamos assim durante toda a vida: Levantamos da cama, vamos direto para o banheiro, fazemos nossa higiene pessoal, tomamos banho, depois tomamos café, vamos para o trabalho etc. Seguimos nossas rotinas no piloto "automático", parecendo que algo nos comanda, nos arrasta para viver, enquanto estamos absortos pelos nossos próprios pensamentos, preocupações, projeções mentais, desejos etc, etc. A verdade é que, sim, realmente estamos sendo controlados, pelos nossos agregados psíquicos, o Ego, pois, ele aprisiona 97% da nossa Essência divina. Entretanto, há uma maneira de sairmos da inconsciência do piloto automático e passarmos a acompanhar conscientemente e de maneira lúcida, toda nossa rotina e toda nossa vida.

A atenção está diretamente vinculada a nossa consciência. Devemos manter toda nossa consciência no momento presente. É importante que nos sintamos bastante lúcidos em nossa atividade presente. Se estivermos lendo, lavando, cozinhando, trabalhando, conversando, praticando etc, devemos perceber cada nuance, cada detalhe, cada som, cada textura, ou cada particularidade da atividade que estivermos executando, porém, sem pensar em mais nada que não esteja relacionado ao momento presente. No tocante ao diário viver, isso é estar em concentração. Notaremos que os obstáculos surgirão para nos distrair e atrapalhar nossa atenção e concentração. Há dois tipos de obstáculos: Os mentais e os materiais.

Exemplos de obstáculos mentais:

 

Suponhamos que estejamos lendo um livro (ou até mesmo fazendo uma prática), inicialmente, em concentração, sem pensar em mais nada, por 1 ou 2 minutos, até que, de repente...........


Ex.1: ...... Surge em nossa mente a lembrança de uma conta que devemos pagar em 5 dias.

Ex.2: ..... Surge em nossa mente lembranças de cenas passadas ou idealizações de quaisquer coisas futuras.

Ex.3: ....... Surge em nossa mente conversas e falatórios mentais.

Ex.4: ...... Surge em nossa mente a imagem de uma pessoa do sexo oposto (Quem emite a imagem nesse caso é um Eu Luxurioso), podendo projetar cenas eróticas ou não, podendo ser esposo, esposa, noivo, noiva, namorado, namorada, pessoas conhecidas etc.

Ex.5: ....... Surge em nossa mente uma lembrança de um fato (recente ou antigo) que nos deixou tristes, magoados ou com desejos de vingança.

Ex.6: ........ Surge em nossa mente a imagem de um alimento qualquer que nos deixe com água na boca.

OBS: A gama de coisas que surge em nossos pensamentos é extensa, os exemplos acima são apenas ilustrativos. Devemos detectar tais surgimentos com a Auto-observação Psicológica no centro intelectual.

 

 

Como lidar com os obstáculos mentais?

Para que possamos continuar com o nosso objetivo de concentração, devemos, simplesmente, compreender cada um dos pensamentos que aparecerem na mente. Dessa maneira, eles irão sumindo, um a um, e poderemos continuar em concentração na atividade que estávamos executando, que nesse exemplo é a leitura do livro. Em outras palavras: Devemos deixar que cada um dos pensamentos que brotarem, "passem", enquanto focalizamos toda nossa atenção de volta ao conteúdo do livro e "esquecemos" os pensamentos intrusos. Caso sejam pensamentos prejudiciais (ex: Ira, Luxúria, Gula, Inveja etc) que comece a atuar em um ou mais centros da máquina humana, devemos, imediatamente, suplicar a nossa Mãe Divina para que Ela desintegre esse(s) defeito(s) (Morte em Marcha). Assim, pouco a pouco, nossa atenção no tema irá sendo estabilizada e fixada no momento presente. Se forem pensamentos prejudiciais, o ideal é que nem  sequer deixemos ele se manifestar, tão logo percebamos sua(s) aproximação (ões) e isso o fazemos por meio da Morte em Marcha.

Como lidar com os obstáculos físicos (ou materiais)?

Basicamente, com a concentração, a não identificação, a morte em marcha e a transformação das impressões, os obstáculos materiais não nos atingirão. Assim, poderemos evitar que elementos externos nos evoquem a luxúria, a ira, a gula, a cobiça, a inveja etc. Isso será melhor explicado no texto chamado "O Controle dos sentidos e das percepções".

Como lidar com os obstáculos emocionais?

Toda emoção inferior tem origem no centro intelectual. Devemos observar nossas emoções e ver o que está por detrás delas. Geralmente são lembranças de quaisquer fatos que nos ocorreram. Podem ser fatos que nos evocaram o orgulho, a ira, a luxuria, a inveja, a cobiça etc. Podemos lidar com os obstáculos emocionais por meio da Morte em Marcha: Suplicando à Mãe Divina que desintegre o Eu no Centro Intelectual e no Centro Emocional. Ou se quisermos fazer um trabalho com retrospecção e melhor análise, também poderemos fazê-lo para que a compreensão seja ainda mais ampla e então suplicaremos à Mãe Divina Devi Kundalini para que pulverize/desintegre esse(s) defeito(s). A retrospecção para análise e Suplica à Mãe Divina, será melhor explicada em textos posteriores.

A identificação com os pensamentos nos impede a concentração

A identificação com os pensamentos os reforçam e nos impede o prosseguimento da concentração. Explicando melhor: Quando estamos concentrados em alguma atividade, o simples fato de conferirmos importância a qualquer pensamento intruso, que não se relacione com a atividade executada, nos distrai, afastando-nos temporariamente da concentração, com a possibilidade de surgir outros pensamentos intrusos, relacionados com o primeiro que demos atenção, atuando, assim, como um efeito cascata. O ideal é que desenvolvamos um estado de alerta tal que não permitamos que nenhum pensamento roube nossa consciência. Esse estado de alerta conseguimos com a prática constante da concentração nos afazeres diários, a recordação de si mesmos, a auto-observação e morte em marcha.

Como não nos identificarmos com os pensamentos intrusos?

​Em primeiro lugar, devemos estar em Íntima Recordação de Si Mesmos, ou seja, do nosso Ser Interior. Então, caso surja um pensamento intruso, devemos "compreender a inutilidade de tal pensamento"  (V.M. Samael), ou seja, que não tem relação alguma com nossa atividade presente. Dessa maneira, fica mais fácil não darmos importância. A identificação com pensamentos intrusos  ocorre quando os confundimos conosco mesmos, com nossa essência divina e pura. Em outras palavras, não identificar-se com um pensamento é compreender o seu aspecto falso e ilusório, o qual pode ser nocivo a nós. É compreender também que tal pensamento intruso é completamente diferente da nossa essência divina, a qual é pura e deriva do nosso Ser Interior, ou Íntimo. Este é Imortal, Real e esta além de todas as coisas mundanas, as quais são temporárias e irreais.

O Mestre Samael, em seu livro "A Revolução da Dialética", ensina-nos a Segunda Joia do Dragão Amarelo. Essa técnica é o Domínio da Mente. A Segunda Joia do Dragão Amarelo deve ser usada apenas quando pensamentos intrusos lutam conosco, intentando roubar nossa consciência. Dominamos nossa mente por meio do látego da vontade. Nessa técnica, o Mestre ensina-nos a recriminar e até a açoitar (metaforicamente) a mente, pois, a mente deve nos obedecer e não o contrário. A mente deve obedecer à nossa essência (ou consciência). A mente é o nosso veículo para a concentração, portanto, devemos adestrá-la da mesma maneira que se adestra um animal selvagem. As tradições antigas equiparam a mente a um macaco louco que pula de galho em galho sem se deter em um só. Assim é a nossa mente, pula de pensamento em pensamento, sem parar. O Domínio da Mente é extremamente útil em casos de pensamentos intrusos de dúvidas ou preocupações de coisas futuras etc. Então, nesses casos, por meio de afirmações, conversas com a mente, perguntas à própria mente, ou até mesmo, recriminações, o pensamento intruso vai desaparecendo. Exemplos de pergunta: "Qual a Real importância que isso tem para mim?" E aguardamos a resposta da mente. Exemplo de afirmação: "Pensamento, vá embora, eu te ordeno!", "Agora estou numa atividade (ou prática) importante, depois eu resolvo isso!". "Eu sou o teu senhor e você, mente, é a minha subordinada, aquieta-te!" A Segunda Joia do Dragão Amarelo foi desenvolvida especialmente para ser usada durante a prática da meditação, para deter pensamentos intrusos. A Morte em Marcha também pode funcionar nesses casos. Entretanto, há situações cotidianas onde não poderemos aplicar a Segunda Joia, pois poderemos nos acidentar, sermos atropelados, errarmos o caminho, o trabalho, a atividade etc. Devendo ser usada apenas durante atividades que não haja riscos.

Também existe a técnica da transformação das impressões, que pode ser usada para nos ajudar na luta contra pensamentos intrusos que intentam nos distrair. A transformação das impressões, ou dualidade, será ensinada em textos posteriores.

A Concentração facilita a Recordação de Si Mesmo e a Auto-observação Psicológica

A Concentração facilita muito a Recordação de Si Mesmo e a Auto-observação, pois, da mesma forma que é mais fácil enxergarmos o conteúdo do fundo de um rio de água cristalina (peixes, pedras, algas etc), com a mente tranquila e pacífica, sem pensamentos (ou pelo menos poucos e esporádicos), fica muito mais fácil detectarmos agentes intrusos (atuações do ego nos 5 centros).

OBS: Todas as orientações em cima foram dadas para a concentração nas atividades diárias, embora também sirvam para concentração aplicada a práticas gnósticas: Meditação, Desdobramento Astral etc.

 

"Purifica primeiro tua mente e teu coração através da prática de uma conduta reta, e logo te dedica à prática da concentração. A concentração sem a pureza da mente e do coração não tem sentido. Alguns estudantes tolos e impacientes optam imediatamente pela concentração sem de modo algum submeter-se a um treinamento ético preliminar. Este é um sério equivoco. Alguns ocultistas tem concentração, porém não tem bom caráter. Essa é a razão pela qual não conseguem nenhum progresso no sendeiro espiritual” (Sivananda)

"Se concentras os raios do Sol através de uma lente, estes podem queimar um pedaço de algodão ou de papel. Porém, os mesmos raios dispersos não podem fazer o mesmo. Da mesma forma, se reúnes os raios dispersos da tua mente e os concentra num ponto, obterá uma maravilhosa concentração. A mente concentrada lhe servirá como um potente farol para descobrir os tesouros da alma." (Sivananda)

"Para o neófito, a prática da concentração terá como resultado no principio, cansaço e desalento". Têm que ir abrindo novas capas da mente e no cérebro. Porém com alguns meses de prática, desenvolverá um grande interesse na concentração e desfrutará de um novo tipo de felicidade: a dita da concentração, ou Ananda. O ponto vital da concentração é atrair a mente para o mesmo objeto uma e outra vez, limitando no principio seus movimentos a um pequeno círculo. Esse é o objetivo principal. Assim chegará o momento em que a mente se mantenha em um só ponto. "A concentração só pode conseguir-se quando estamos livres de toda distração." (Sivananda)


A Disciplina da Agenda Diária

 

O desenvolvimento da concentração é uma algo que exige muita disciplina. O V.M. Rabolú desenvolveu uma formidável técnica para nos ajudar a desenvolvermos o Poder da Concentração. Todos os dias, devemos fazer uma agenda com nossas principais atividades, desde o momento em que acordamos até a hora em que formos dormir. Normalmente, fazemos duas ou três coisas de uma vez só, e acabamos distraídos, sem concentração. A Disciplina da Agenda Diária tem por finalidade habituarmo-nos a fazer uma atividade por vez, sem pensar nas anteriores ou nas seguintes e sem pensar em mais nada. Devemos nos limitar a pensar apenas na atividade que estivermos executando no momento. Trata-se de uma mudança radical de hábito. Disciplinando nosso diário viver, a concentração ficará muito mais fácil.

Uma concentração bem desenvolvida nos permite executar nossos afazeres em tempo menor do que o habitual, além do melhor rendimento em nossas atividades. Mas a principal finalidade é nos facilitar as práticas de Meditação, Desdobramento Astral, Magia Sexual e Morte do Ego. Sem concentração, todas as práticas gnósticas não dão resultados.

Segue um exemplo de agenda para uma pessoa que trabalha de manhã e estuda à tarde. É só um modelo de agenda que pode ser modificado, individualmente, de acordo com as rotinas.

06:30 Banho, higiene pessoal
06:50 Café da manhã
07:30 Trabalho

12:30 Almoço

13:00 Descanso
14:00 Estudo - Matéria 1

15:00 Estudo - Matéria 1

16:00 Pausa para lanche
16:20 Estudo - Matéria 2
17:20 Estudo - Matéria 3

18:20 Estudo - Matéria 4
19:20 Janta
20:00 Descanso (Internet/ ver emails/ Ouvir música clássica/ Ler livro gnóstico ou bíblico)

22:00 Deitar-se: Práticas de leito (concentração, desdobramento astral, meditação)

OBS: Estipular um horário para cada atividade é opcional. Seguir horários exatos pode ser possível parcialmente ou integralmente, a depender da rotina de cada um.

Adestrar a mente

O trabalho de concentração nas atividades diárias é um verdadeiro trabalho de adestramento mental. Iremos notar que a nossa mente sairá diversas vezes do foco (atividade executada no momento) para pensar, lembrar, projetar, fantasiar, ou até mesmo fazer outras atividades diferentes das quais estipulamos na agenda etc. O trabalho de adestramento da mente consiste, justamente, em trazer repetidas vezes, a mente de volta ao foco do trabalho executado, não importa quantas vezes ela se "rebele", tragamos de volta nossa mente, tão logo notarmos que ela se desviou. Normalmente, a nossa mente está habituada a fazer tudo mecanicamente, sem concentração, e alternando as atividades várias vezes, terminando assim sem seguirmos a agenda. A recomendação do V.M. Rabolú é que façamos cada atividade até o final e que não passemos à atividade futura sem terminar a presente. Dessa maneira, adestraremos nossa mente pouco a pouco.

Devemos seguir até onde alcancemos. A preguiça e a indolência tentará nos atrapalhar em nosso objetivo. A determinação, a perseverança e a força de vontade são os fatores que determinarão o nosso sucesso. Se conseguirmos seguir 30% da agenda em concentração, devemos ir treinando nossa mente até aumentar esse percentual para 40, 50, 60, até chegar o dia em que ficaremos concentrados o tempo todo. Somente aqueles que alcançaram o estado de Turiya (Consciência contínua ou desperta) podem ficar 100% do tempo concentrados. Esses são os Mestres que desintegraram todo os seus Egos. Nós, entretanto, temos nossa mente distraída porque temos Egos ainda. Porém, com o trabalho nos Três Fatores da Revolução da Consciência poderemos ir eliminando, pouco a pouco, o Ego e irmos aumentando esse tempo, gradativamente. De início, se alcançarmos uma boa concentração que nos permita sair em astral algumas vezes, é maravilhoso. Se conseguirmos sair todos os dias é o ideal. Se atingirmos o vazio iluminador da meditação, melhor ainda. Mas se estiver difícil para nós, não devemos desistir nunca, pois a vitória chega sempre para os que perseveram.

Compromissos "importantes"

Em nossas rotinas temos inúmeros compromissos avulsos que podem atrapalhar nossas práticas gnósticas e também, nossa concentração na agenda diária. Algo que pode funcionar é criar uma agenda, à parte, com todos esses compromissos enumerados. Tais compromissos incluem, por exemplo: Envio de emails importantes, Compras de utensílios domésticos ou alimentos, Pagamentos de contas, Consertos/serviços de coisas domésticas etc. Dessa maneira, não precisaremos nos preocupar com essas coisas o tempo todo e quando tais formas mentais (pensamentos) passarem por nós (seja no dia a dia, seja durante as práticas) poderemos dizer (mentalmente) a nossa própria mente: "Isso já está anotado, portanto não preciso preocupar-me com isso", então o pensamento intruso será descartado.

Seguir a Disciplina da Agenda por meio da concentração é uma verdadeira maneira de organizar as nossas mentes e também as nossas vidas. Todo aquele que deseje o caminho gnóstico deve desenvolver o seu poder de concentração, por meio da prática e da disciplina.

Forças para todos!

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now