Visitantes

O Sacrifício pela Humandiade

"É urgente valorizar o trabalho esotérico gnóstico; é indispensável compreendê-lo e apreciá-lo, se é que na realidade ansiamos por uma transformação radical. Faz-se indispensável saber amar a nossos semelhantes, estudar a Gnose e levar este ensinamento a todas as pessoas, do contrário cairemos no egoísmo. Se alguém se dedica ao trabalho esotérico sobre si mesmo, mas não dá o ensinamento aos demais, seu progresso íntimo se torna muito difícil por falta de amor ao próximo. "O que dá, recebe, e quanto mais der, mais receberá, mas o que nada dá, até o que tem lhe será tirado". Esta é a Lei."  (Tratado de Psicologia Revolucionária, capítulo 31- Samael Aun Weor)

"Com este trabalho que estou indicando da morte do ego, adquire-se a Castidade Científica e aprende-se a amar a Humanidade. Aquele que não trabalhe com a desintegração dos defeitos não pode chegar nunca a sentir amor pelos outros, porque não se ama a si mesmo." (Hercólubus, ou Planeta Vermelho - V.M. Rabolú)

"...de graça recebestes, de graça dai." (Mateus 10:8)

O Sacrifício pela Humanidade (ou Amor pela Humanidade) é o Terceiro Fator da Revolução da Consciência: Entregar, desinteressadamente, o ensinamento da Gnosis a todos, sem distinções de sexo, raça, casta ou cor, para que todos tenham a oportunidade também de sair deste sofrimento (a Roda de nascimentos e mortes - Samsara) e alcançar sua Liberação.

Existem incontáveis leis cósmicas que regem o universo, para que haja uma ordem. Uma delas é a Lei de Karma e Dharma. Também chamada de Lei da Balança, ou Ação e Reação, ou Causa e Efeito. Karma e Dharma são termos sânscritos. Karma significa débito. Dharma significa crédito.

Cada um de nós temos um Livro da Vida. Tudo o que fazemos em nossa existência, fica anotado nesse livro, que está em posse da Justiça Divina. Se fazemos uma ação ruim, ficamos com débito de capital cósmico. Se fazemos uma ação boa, ficamos com crédito de capital cósmico. É como se fosse uma conta bancária, mas ao invés de ser dinheiro, é capital cósmico. Isso é representado pela Balança da Lei. Quando as más ações superam as boas ações, a Balança inclina-se para o lado do mal, ou seja, há débito de capital cósmico (Karma). Quando as boas ações superam as más, a Balança inclina-se para o lado do bem, ou seja, há crédito de capital cósmico (Dharma).

Quando você faz empréstimo num banco, você adquire uma dívida que deverá ser paga com juros. Da mesma maneira é a Lei do Karma, ou Lei da Balança. Os tipos de Karmas existentes são: Individual, Familiar, Coletivo, Nacional, Mundial, Kamaduro, Karmasaya e Katância. Se tivermos Dharma, poderemos quitar nossas dívidas e aliviar nosso sofrimento.

Existem duas formas de pagarmos o nosso Karma:

1) Por meio do Sofrimento;
2) Praticando Boas Obras.

​Explicando melhor:

1) Por meio do Sofrimento: Como citado acima, por meio dos 8 tipos de Karmas, saldamos nossa dívida. A Lei do Karma está intimamente relacionada com a Lei de Retorno e Recorrência: Tal Lei significa que cada pessoa repete todos as ações que praticou nas existências passadas (sejam boas ou más ações). Isso só é possível porque os nossos Egos retornam em nós, de existência em existência, para repetir dramas, romances, tragédias e comédias (Os espíritas chamam isso de reencarnação, mas no conhecimento Gnóstico tem o nome de Retorno, sendo a Reencarnação para Seres mais elevados, autorealizados, de consciência desperta, o que não se aplica a nós, que estamos buscando o despertar da consciência). Quando praticamos uma má ação, adquirimos um Karma (débito) e, portanto, cedo ou tarde, esse débito será pago em forma de sofrimento. Exemplos: Se agrido alguém, serei agredido. Se matei alguém na existência passada, serei morto por essa mesma pessoa, da mesma maneira (trocam-se os papeis). Se traí alguém na existência passada, serei traído por essa mesma pessoa nessa existência. Se roubei alguém na existência passada, serei roubado por essa mesma pessoa. Podemos dizer que o Ego é vingativo e retorna de existência em existência para praticar más ações. Outros exemplos: Se deixo de ajudar alguém que passa fome, também terei dificuldades para ter alimento em minha mesa. Se deixamos de ajudar/orientar/consolar alguém, da mesma forma, não encontraremos pessoas de boa vontade para nos ajudar. Se fomos egoístas, serão egoístas conosco. Se somos grosseiros com os outros, serão conosco e assim por diante. A Lei do Karma tem muitas variantes.

2) Praticando boas Obras: Quando ajudamos alguém materialmente, recebemos de volta material. Se damos comida, não nos faltará o que comer. Se damos roupas, não nos faltará vestimentas. Se ajudamos com dinheiro, receberemos em dobro. Ajudarmos as pessoas é um ato de amor e de cidadania, uma obrigação nossa. Quando ajudamos materialmente, ganhamos capital cósmico que é revertido para nós em forma de matéria (Dharma material). Seremos, então, agraciados com comida, dinheiro, vestimenta e abrigo. Mas isso não é tudo.

Quando entregamos o ensinamento da Gnosis às pessoas, desinteressadamente, sem cobrar nada em troca, estamos ajudando-as espiritualmente, portanto, o Dharma recebido será espiritual, que poderá ser revertido em ajuda para nós, dada pelas Hierarquias e pelas partes do nosso Ser (Pai Interno e Mãe Divina), para que o nosso trilhar no caminho da Revolução da Consciência seja bem sucedido. O Dharma espiritual também pode ser revertido em pagamentos como poderes, faculdades (espirituais), iniciações etc.

Se entregamos o ensinamento da Gnosis em troca de dinheiro, ou objetos materiais, estaremos sacrificando a humanidade, ao invés de sacrificar-nos pela humanidade. Com isso iremos adquirir um imenso Karma sobre nossas costas, além de todo o que já possuímos. Existem editoras que comercializam os livros do V.M. Samael a altos custos. Existem escolas que promovem seminários e palestras, ditas "gnósticas", com altos custos. Existem sites que comercializam cursos gnósticos a preços exorbitantes. Esses não representam a Gnosis. O Real Ensinamento Gnóstico deve ser passado de forma gratuita a toda humanidade. Ademais, o V.M. Samael sempre dizia que seus livros deveriam ser acessíveis a toda a humanidade, a preço de custo baixo, de modo que qualquer pessoa, independentemente de classe social ou renda, possa adquiri-los. Hoje em dia, lamentavelmente, muitas instituições, ditas gnósticas, transformaram a Gnosis em comércio. Tais instituições desviaram-se completamente dos princípios gnósticos. Com o advento da internet, felizmente, os livros gnósticos estão disponíveis para todo o mundo, em formato digital, a simples cliques de mouse, de forma gratuita.

"Se nos sentamos unicamente para trabalhar com a morte e não levamos a mensagem, caímos no egoísmo. O egoísmo é um delito ante a Grande Lei, ante as Hierarquias. É um delito gravíssimo! Agora é que devemos planejar o trabalho para expandir o Movimento e levar a mensagem a toda a humanidade, porque temos esse grande compromisso com ela. Então, estamos levando a mensagem e trabalhando sobre nós mesmos. O importante é não se esquecer de si mesmo." (V.M. Rabolú - Mensagem de Natal 88-89)

Com a prática dos Três Fatores Fatores da Revolução da Consciência ganhamos muito capital cósmico (Dharma), o que nos permite cancelar todas dívidas Karmicas que tenhamos, além da possibilidade de alcançarmos a  Iniciação Esotérica e a Liberação. Entretanto, é importante salientar que os Karmas contra o Espírito Santo (Karmasaya e Kamaduro) não são pagos com os Três Fatores. Esses tipos de Karmas específicos, somente são pagos por meio do sofrimento e da dor.

Postulados da Lei Divina:

– “Quem tem capital, paga com eles; quem não tem, paga com dor”, ou seja, quem tem dharma não sofre;

– “Fazes boas obras e pague suas dívidas”;

– “Ao Leão da Lei se combate com a balança”, ou seja, devemos pagar com boas obras quando estivermos sofrendo. Quando a pessoa fica lamentosa e revoltada o sofrimento se prolonga mais.

– “Quando uma Lei Inferior é transcendida por uma Lei Superior a inferior é lavrada”; por exemplo, quando extirpamos algum defeito de nossa natureza interior no trabalho sobre nós mesmos, o carma gerado anteriormente por esse defeito deixa de ser cobrado;

– “Quando há arrependimento, há misericórdia; quando não, justiça!”

– “Não somente se paga o carma pelo mal que se faz, mas também pelo bem que se deixa de fazer, podendo fazê-lo”; ou seja, é nosso dever ajudar sempre;

Os tipos de Karma:

INDIVIDUAL – A grande maioria das doenças se enquadram nesse tipo de carma;

FAMILIAR – Doenças hereditárias, mal à família inteira, etc. Exemplo: Viciado em drogas, alcoolismo etc. Os viciados em drogas ou alcoolatras levam sofrimento não só a ele mas a  própria família também.

COLETIVO – Desastres coletivos, choques de ônibus, acidentes de avião, etc.

Obs.: Nem todos os acidentes são carmas. Uma boa parte deles é imprudência apenas, a qual, muitas vezes, é corrigida pela Lei Divina posteriormente.

NACIONAL – Desastres ambientais (Furacões, maremotos, terremotos, enchentes) guerras, etc. Somente se muda o carma de um país, se a maioria das pessoas dele mudar.

MUNDIAL – Guerras mundiais, desastres ambientais, vinda de Hercólubus etc. O tão comentado juízo final, nada mais é do que o chamamento dos habitantes da Terra para pagarem o Carma Mundial.

KAMADURO – "Kamaduro é um termo sânscrito que indica Karma que não pode ser negociado nem perdoado." (Samael Aun Weor). É o Karma aplicado aos que cometem perversidades, estupros, assassinatos, emboscadas, torturas etc. O kamaduro é inegociável, quando é aplicado vai inevitavelmente até as suas consequências finais, com tristeza, sofrimento e dores extremas. Exemplos: AIDS, câncer, epilepsia etc.

KARMASAYA – Paga-se este Karma todo aquele que comete o delito contra o Espírito Santo, por meio do Adultério ou por meio do Orgasmo (ejaculação: perda da energia sexual). O pecado contra o Espírito Santo é o único que não é perdoado, visto que a Energia Sexual (Terceiro Logos) tem um caráter absolutamente sagrado. O adultério ocorre quando um homem (ou uma mulher) trai o seu conjugue. Ou seja: Quando a pessoa tem relação sexual com outra pessoa fora do seu casamento.

KATÂNCIA – Karma aplicado aos Mestres: Todos aqueles que atingem a Maestria e depois cometem erros. É chamado também de Karma dos Deuses e é aplicado com mais rigor, porque um Mestre tem muito mais consciência (e até mesmo poderes) do que uma pessoa normal e, portanto, deve ter mais responsabilidades para com os seus atos.

O Egoísmo - V.M. Rabolú - Msg de Natal 88-89

"O Dever de entregar o ensinamento" - V.M.Rabolú - Msg Natal 88-89

“Não é obrigatório haver experimentado, em si mesmos, todos os Princípios Esotéricos Divinais que preconizamos. Claro, muito louvável seria que todos houvessem chegado à Iluminação e pudessem, por tal motivo, ensinar o que vivenciaram. Mas os Iluminados temos que contar com os dedos das mãos e sobram dedos.

 

Por este motivo, nós devemos dar o que estamos aprendendo. QUANTO MAIS DAMOS, MAIS RECEBEMOS. Conforme vamos ensinando a outros, a Iluminação irá vindo a nós. Mas se nós guardamos o Ensinamento, tampouco haverá Luz para nós.

 

Não devemos esconder a chama debaixo do alqueire, temos que levantá-la bem alto para iluminar o Caminho do nosso próximo. À medida que nós preconizamos aquilo que aprendemos, aquilo que nos foi ensinado, a Luz irá vindo a nós.

 

NÃO SERIA POSSÍVEL AGUARDAR A QUE ESTIVÉSSEMOS COMPLETAMENTE ILUMINADOS PARA LOGO ILUMINAR O MUNDO. Temos que lançar ao público as Verdades que temos aprendido, as Verdades que os Mestres nos ensinaram, aqueles “Grãos de Luz” dos quais nos fizeram receptores.

 

Quanto mais trabalhamos na Grande Obra do Pai, mais e mais poderemos ir experimentando, em nós mesmos, o que estamos preconizando. Mas se nós, egoisticamente, não entregamos aos demais o que sabemos, tampouco poderemos um dia vivenciar os Ensinamentos Transcendentais do Espírito.

 

Deixemos o egoísmo de lado, entreguemos a outros o que temos aprendido! Conforme assim o façamos, a Luz virá a nós e um dia vivenciaremos a crua realidade disso que nos ensinaram.”

(Trecho retirado da conferência "Exaltação do Espírito Missionário" de Samael Aun Weor)

"Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa. Assim, resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus."  (Mateus 5:14-16)
 

"Quem percorre o caminho do MATRIMÔNIO PERFEITO deve desenvolver a CARIDADE. As pessoas cruéis e desapiedadas não progridem neste caminho. É urgente aprender a AMAR e estar sempre disposto a dar até a última gota de sangue pelos demais. O calor da CARIDADE abre todas as portas do coração. O calor da CARIDADE traz FÉ SOLAR à MENTE. A CARIDADE é AMOR CONSCIENTE. O fogo da CARIDADE desenvolve o CHACRA do CORAÇÃO. O fogo da CARIDADE permite à Serpente Sexual subir rapidamente pelo canal medular. Quem quiser avançar rapidamente pela Senda do Fio da Navalha deve praticar Magia Sexual intensamente e entregar-se, totalmente, em cheio, à GRANDE CARIDADE UNIVERSAL. Assim, SACRIFICANDO-SE ABSOLUTAMENTE POR SEUS SEMELHANTES, dando seu sangue e sua vida por eles, CRISTIFICAR-SE-À RAPIDAMENTE."

 

(Samael Aun Weor, O Matrimônio Perfeito - Capítulo 19: A Iniciação)

Ampliação [29/03/2017]: Trechos de Helena Petrovna Blavatsky do livro A Vóz do Silêncio, sobre o Sacrifício pela Humanidade:

"Condenado a perecer é aquele que por me­do de Mara [1] deixa de auxiliar os homens, receando agir em proveito próprio. O peregrino que quer refrescar os seus membros lassos em águas  correntes, mas não mergulha por medo à  corrente, arrisca-se  a morrer de calor. A inação  baseada no medo egoísta não pode dar senão mau fruto."

"O devoto egoísta vive inutilmente. Vive em vão o homem que não realiza na vida a obra para que nasceu."

 

"Segue a roda da vida; segue a roda do dever para com a tua raça e os do teu sangue, para com o amigo e o inimigo, e fecha a tua mente tanto aos  prazeres como  à  dor. Esgota  a lei  da retribuição cármica."

"Se não podes ser o sol, sê então o humilde planeta. Sim, se te é impossível brilhar como  o sol do meio-dia sobre o monte nevado da pureza eterna, então escolhe, ó neófito,  uma carreira mais humilde."

"Aponta o caminho - por vagamente que o faças, e perdido entre a multidão -  como a estrela da tarde àqueles que caminham  pela escuridão."


"Sê, ó Lanu [2], como eles. Dá luz e conforto ao peregrino cansado, e  procura aquele  que sabe  ainda menos  do que  tu; que na sua desolação miserável está faminto do  pão da sabedoria e do pão que alimenta a sombra, sem Mestre, esperança ou consolação, e fá-lo ouvir a Lei".

(H.P.B. - A Vóz do Silêncio)

[1] Mara, no Budismo, representa Lúcifer, ou a sombra do Logos, a Sombra do Íntimo. Lúcifer é o treinador psicológico. Temos que vencer a Lúcifer se queremos o caminho esotérico. Leia mais a respeito no livro Sim, há Inferno, sim, há Diabo,  sim, há Karma de Samael Aun Weor.

[2] Lanu, no Budismo, significa aprendiz, ou neófito.

 

Formas de fazer o Terceiro Fator Da Revolução da Consciência:

- Divulgando este site ou outros sites que ensinem de maneira correta a Gnosis para o máximo de pessoas possível;

- Divulgando o livro "Hercólubus, ou Planeta Vermelho" para o máximo de pessoas possível;

- Divulgando livros de Samael e Rabolú (contidos na guia Livros deste site);

- Ensinando a outros sobre o Desdobramento Astral, a Meditação e os Três Fatores da Revolução da Consciência;

 

Sacrifício significa Sacro-Ofício ou trabalho Sagrado. Não podemos separar o Sacrifício pela Humanidade dos outros dois fatores, visto que eles se complementam. Lembrando que o Sacrifício pela Humanidade começa dentro de nós mesmos, com o nosso Sacrifício Íntimo e particular. O Sacrifício em desintegrar nossos Egos, dia após dia, com a ajuda da Mãe Divina Devi Kundalini e, também, o Sacrifício da sexualidade comum e corrente pela Suprassexualidade, ou seja, Sacrificamo-nos para que morra o velho e nasça o novo - Que morram as trevas e nasça a Luz dentro de nós, em outras palavras: Que morram os defeitos e nasçam as virtudes. Esse é um tremendo sacrifício e, a partir desse sacrifício íntimo, particular, individual, podemos entregar esse conhecimento a outros, lutar para que outros também possam se livrar do sofrimento interior e do cataclismo que virá em breve.

 

 

Leão: Arquétipo representativo da Lei Divina

"Ao Leão da Lei, combate-se com a Balança!" Samael Aun Weor

Abaixo, Vídeos sobre o Sacrifício pela Humanidade

Mensagem aos Missionários Gnósticos - Samael Aun Weor (vídeo legendado)

3º Fator: Levantar a Tocha do Verbo: Samael Aun Weor (legendado)

A União Faz a Força - V.M. Rabolú

A Caridade e o Sacrifício pela Humanidade - V.M. Rabolú

3º Fator - V.M. Rabolú

A Caridade - Samael Aun Weor

"Se acendes uma lâmpada para outro, iluminarás teu próprio caminho" - Provérbio Budista

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now