Visitantes

A Transformação das Impressões ou Dualidade

A Transformação das Impressões ou Dualidade é uma ferramenta auxiliar muito importante, que deve nos acompanhar por toda nossa jornada em busca do autoconhecimento ou despertar da consciência.

 

O universo em que vivemos é dual. Tudo tem dois aspectos contrários ou polos opostos: Positivo e negativo; Alto e baixo; Beleza e feiura; Trevas e Luz; Bondade e Maldade; Luxúria e Castidade; Serenidade e Ira; Temperança e Gula; Inveja e Altruísmo; Riqueza e Pobreza; Frio e Calor; Dor e Prazer. Neste universo há incontáveis características duais, as quais são transcendidas em dimensões superiores da natureza: Mundo causal; Mundo átmico/budhico e Absoluto.

 

Existem 3 tipos de impressões:

 

1) Os alimentos que ingerimos;

2) O ar que respiramos;

3) As impressões psicológicas.

Todas as três necessitam ser digeridas para vivermos bem.

 

1) Os alimentos que ingerimos contêm vitaminas, e substâncias necessárias para a vida. Se não ingerirmos alimentos, não conseguimos sobreviver e nosso corpo definhará até a morte. Há algumas pessoas que conseguem ficar meses ou até anos sem se alimentar, em jejum, com o treinamento adequado. Mas este não é o nosso objetivo principal.

 

2) Se não respirarmos, nosso corpo também morrerá, mas por falta de oxigênio. Nosso corpo recebe as impressões digeridas do ar que respiramos, passando o oxigênio para nossa corrente sanguínea que por sua vez alimenta as células do nosso corpo. Com o treinamento adequado é possível ficar até vários minutos sem oxigênio, mas esta também não é a nossa meta principal.

3) Ao longo da vida, recebemos impressões psicológicas de variados tipos. As impressões psicológicas nada mais são do que as atuações do Ego no centro intelectual. Se não digerirmos as impressões psicológicas, o Ego roubará energia nos demais centros e assim, nossa energia vital será roubada, pouco a pouco, até a velhice e falecimento.

 

É imprescindível digerirmos as impressões psicológicas para conservarmos nossa energia vital e podermos utilizá-la para o despertar de nossa consciência. E como digerimos tais impressões? Existem duas maneiras:

 

1) Através da aplicação da Transformação das Impressões, ou Dualidade;

 

2) E, de uma maneira definitiva, através da prática da Morte do Ego ou da Morte em Marcha;

 

O trabalho de transformar as impressões é feito pela nossa própria consciência.

 

Tudo na vida, absolutamente tudo, tem distintas formas de ser abordado, analisado, ou recebido. E com as impressões psicológicas não é diferente. Existem incontáveis tipos de impressões psicológicas. Elas são criadas pelo Ego e podem ser estimuladas por eventos/acontecimentos ou pensamentos. Segue alguns exemplos:

 

Se uma pessoa atraente do sexo oposto nos faz sentir luxúria nos centros da máquina humana, é porque nos esquecemos que aquela forma atraente é ilusória e filha do tempo: Tem um início, meio e fim. Ou seja, com o tempo, todos nós envelheceremos, definharemos (ficaremos feios, cheios de rugas, cabelos brancos e, portanto, sem atrativos sexuais) e viraremos pó, adubo da nossa grande Mãe Terra. Logo, é errado nos prendermos no lado ilusório da situação. Devemos ser capazes de olhar o lado oposto, o lado objetivo. Então, nada ganharemos ao alimentar a luxúria com olhares, pensamentos ou sentimentos morbosos.

 

Suponhamos que fomos convidados para alguma festa de aniversário ou alguma comemoração e, quando chegamos ao local, nos deparamos com um banquete de variadas comidas, bebidas e sobremesas saborosas. Não devemos nos deixar arrastar pelas impressões psicológicas de gula que passarão ao nosso centro instintivo pedindo mais e mais comida. O que devemos refletir nesse caso? Refletimos que, muitos alimentos ali, apesar de saborosos, se comidos em demasia, podem fazer mal ao nosso organismo, desequilibrar nossa máquina humana e, correspondem a um prazer fugaz e temporário que acabará tão logo acabe a nossa degustação. Logo, o mais sensato é a temperança: O equilíbrio, ou seja, comermos até o nosso limite, sem nos empanturrarmos. Escutar o que o nosso organismo tem a nos dizer. Não é o fato de comermos tais alimentos esporadicamente que nos fará mal. O que nos faz mal é querer comer com muita frequência, isto é, com exagero. Obs: Há alimentos que devem ser evitados em 100% por nós que estamos no caminho gnóstico. Estes alimentos são a Carne de Porco e Derivados (só a de porco que é prejudicial), dentre outros animais involutivos, os quais são extremamente prejudiciais a nós.

 

Se somos convidados para brindar a felicidade de um amigo em alguma cerimônia, não é aquele copo de drink que nos fará mal, mas sim o fato de beber vários copos até nos embriagarmos. A embriaguez tem o poder de ressuscitar Egos já trabalhados por nós. Um copo de drink (ou meio, para alguns) tomado com consciência, não faz mal a ninguém. Entretanto, nesse caso, é a nossa consciência que determina o quanto poderemos beber. Obviamente que isso também depende do tipo de bebida. O Mestre Samael fala sobre o vício do Álcool no capítulo 19 denominado “O Demônio Algol” do livro “O Mistério do Áureo Florescer”.

 

Se uma pessoa nos insulta ou nos diz algo que fere nosso orgulho, não devemos devolver com a mesma moeda e, sim, transformar a impressão psicológica daquele insulto. Suponhamos que uma pessoa nos chame de homossexual. Afinal, porque deveríamos nos ofender com tal comentário? De fato, somos homossexuais? Qual a verdade do comentário dessa pessoa insultadora? Se somos héteros, porque deveríamos nos ofender, já que tal ofensa não se aplica a nós? E, se fôssemos, seria um motivo de ofensa? Afinal essa é uma opção sexual individual de cada pessoa e cada pessoa tem seu livre-arbítrio. Logo, não vale a pena alimentarmos sentimentos de ódio ou vingança graças a tais insultos.

 

Se uma pessoa fere o nosso orgulho, significa que temos o eu do orgulho muito vivo e nos consideramos pessoas muito importantes que devemos ser respeitadas pelos outros. Mas reflitamos: Realmente somos tão importantes assim? De onde vem essa sensação de autoimportância? Então, lembremos que o planeta terra tem cerca de 7 bilhões de habitantes. O planeta Terra é apenas um dos planetas deste sistema solar. Nosso sistema solar (chamado ORS) tem 10 planetas, contando com o Sol e em cada um desses planetas existem bilhões ou até trilhões de habitantes. A galáxia em que está contida o nosso sistema solar se chama Via Láctea e tem bilhões de sistemas solares, assim como todas as galáxias do universo. E no universo existe infinitas (incontáveis) galáxias. Agora, devemos responder a nós mesmos, com sinceridade: Quem somos nós? Faz sentido nos acharmos mais importante do que os outros? Somos como um grão de areia no mundo. Devemos chegar à compreensão de que somos todos insignificantes e se uma pessoa nos fere com as palavras, é por causa de algum estado psicológico negativo, um Eu, que tal pessoa carrega consigo mesma. Assim, desenvolveremos a compaixão pela outra pessoa.

 

Suponhamos que descobrimos que uma pessoa próxima a nós está nos enganando de alguma maneira. Afinal, porque devemos sofrer com isso? Como vimos, não somos o elemento central do mundo, nem do universo. Cada pessoa tem o livre-arbítrio de agir como bem entende em sua vida e, se formos enganados por alguém, isso pode significar que, em vidas passadas, fomos nós os enganadores de tal pessoa. Como visto em textos passados, o Ego é vingativo e retorna de existência em existência para realizar o seu malfeito. Assim atua a Lei do Karma. Portanto, se fomos enganados por alguém, não devemos ter motivos de alimentarmos sentimentos negativos. Compreendamos que também temos “Eus enganadores” dentro de nós e, perdoemos essa pessoa. Tal pessoa é a que arcará com as consequências de seus atos negativos, se continuar nesse caminho. Lembremos que existe a Lei do Karma para colocar ordem no Universo.

 

Existem inumeráveis formas de Transformarmos as Impressões, vimos apenas alguns exemplos acima. Os fatos da vida podem ser analisados de diversos ângulos, de diversas maneiras. O importante é vermos os fatos da vida de maneira mais objetiva e direta possível. O Ego distorce a visão verdadeira de tais fatos. Somente nossa consciência pode analisar de forma 100% real e verdadeira.

 

Portanto, sempre que tivermos dificuldades ao lidar com qualquer impressão psicológica, poderemos aplicar a técnica da Transformação das Impressões, que consiste em pensar em algo que anule aquela Impressão inicial, que é extremamente prejudicial a nós e adormece a nossa consciência. Por isso é chamada de Dualidade, ou seja, aplicamos a Dualidade, que é ver o evento de uma forma oposta à visão prejudicial.

 

Esse é um exercício mental indispensável, que ajuda e muito na lida com as Impressões psicológicas negativas. Mas devemos enfatizar que a forma principal de digerir essas impressões psicológicas é através da Morte em Marcha. Ou seja, nesses casos, a técnica da Transformação das Impressões deve estar sempre acompanhada da Morte em Marcha.

 

A transformação das impressões pode ser aplicada, tanto em pensamentos insistentes, como nas situações do dia a dia também, ou seja, em nossos ginásios psicológicos.

Yin Yang – Símbolo Taoísta que representa a luta entre as Duas Forças: A positiva e a negativa. Esse símbolo pode ser interpretado de diversas maneiras e, com certeza, uma de suas interpretações é a Transformação das Impressões ou a Dualidade. Podemos observar que em cada lado, há uma pequena porção do lado oposto: No lado do bem, há um ponto do mal. No lado do mal, há um ponto do bem. Significa que, mesmo nos fatos negativos da vida, há algo de positivo, ou aprendizado, a ser extraído de tal experiência/evento etc. E, nos eventos positivos da vida, se não estivermos alertas, como sentinelas em época de guerra, podemos ser prejudicados por alguma impressão negativa.Neste símbolo, embora estejam de lados invertidos, o Dragão representa o Bem e o Tigre representa o Mal.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now